Mais que um artigo, este texto é um depoimento sobre o sucesso de uma gestão de crise que tem como um de seus pilares relevantes a valorização da diversidade. Nós, autores, tivemos a felicidade de sermos envolvidos, desde o início, em um caso importante, desafiador e emblemático do nosso escritório, relacionado à gestão de crise de um dos nossos clientes. Antes de qualquer coisa, temos o privilégio de fazer parte de um escritório que traz diversidade e inclusão em sua cultura. Por esse motivo, nós nos sentimos extremamente confortáveis e estimulados a incluir no desenvolvimento do nosso trabalho todos os valores, experiências e percepções advindas das nossas características diversas. No nosso caso, em especial, essas características estão relacionadas a raça, orientação sexual e gênero.

 

Em linhas gerais, o projeto envolvia colocar em funcionamento, em tempo recorde, um programa de indenizações extrajudiciais atreladas a um evento que atingiu um grande número de pessoas.

 

Dada a largada ao projeto, vieram os desafios típicos de um cenário de crise, que são sempre grandiosos, urgentes e, mesmo com bastante preparo e organização, trazem muitas incertezas com as quais a organização precisa lidar. Já sabíamos que seria imprescindível contar com um time qualificado para responder às demandas que viriam. E sendo diversas e complexas as questões que apareceriam para ser solucionadas em relação aos diferentes stakeholders envolvidos, era fundamental contar com uma equipe igualmente diversa para tratá-las.

 

Entendemos que abraçar a diversidade é premissa de um trabalho em equipe com possibilidade de êxito. Afinal, se os membros da equipe precisam uns do outros para desenvolverem o seu trabalho e alcançar melhores resultados, é valioso que tragam para o grupo contextos multiculturais, habilidade e conhecimentos diversos.

 

Uma equipe diversa, ou seja, formada por grupos tradicionalmente vistos no ambiente corporativo e outros grupos socialmente minorizados, como mulheres, negros, LGBTQIA+ e pessoas com deficiência, permite potencializar as pluralidades para quebrar paradigmas. Foi, portanto, um dos fatores mais relevantes para o sucesso da nossa gestão de crise que nos apoiássemos e, ao fazê-lo, fomentássemos um ambiente estimulante e acolhedor para que cada um se sentisse mais engajado e motivado para exercer suas atividades e tarefas, e, assim, extraísse todo o seu potencial para uma alta performance.

 

Foi possível incorporar ao trabalho em equipe toda essa riqueza e multiplicidade de valores, experiências, desafios, êxitos – e mesmo fracassos – de cada um, potencializando o conjunto de habilidades e, sobretudo, soluções criativas da equipe. Especificamente em uma gestão de crise, é preciso antecipar demandas, atender a expectativas de pessoas diferentes, interpretar a diversidade existente na sociedade, tudo isso de forma ágil e com eficiência. Nesse contexto, os métodos de solução de problemas não tradicionais são grandes aliados, uma vez que proporcionam maior adaptabilidade, flexibilidade, resiliência e antifragilidade.

 

Pois bem, unindo diversidade com gestão não tradicional desenvolvemos ferramentas para permitir elevado pensamento crítico, resolução de problemas complexos e otimização de resultados. Aliando a isso uma gestão que buscava criar e manter um ambiente de segurança psicológica, para que todos os membros da equipe pudessem estimular sua criatividade, autonomia, motivação intrínseca, assunção de riscos, inovação, pensamento crítico, conexão e colaboração, sem utilizar seus esforços mentais para se protegerem, o resultado foi a alta eficiência da equipe.

 

Ao fim do primeiro ano do programa, ainda em em curso, foi possível atingir todas as metas estabelecidas pelo cliente com eficiência, gerando a proteção jurídica necessária e atendendo a todas as questões de governança do projeto, além de seus aspectos sociais, econômicos e humanitários.

 

Esse tipo de abordagem, em um ambiente que abraça a diversidade de forma aberta e incentiva a igualdade entre as pessoas e a liberdade de pensamento, costuma render ótimas discussões e trazer soluções criativas e bem direcionadas. Em uma crise, esse é um diferencial importante no atingimento de melhores resultados. Transformá-la em oportunidade, realizando sua gestão de maneira eficaz, especialmente do ponto de vista jurídico, significa rever visões e práticas tradicionais e acolher da diversidade.

 

A busca de soluções criativas, ágeis e colaborativas encontra terreno fértil em uma equipe diversa. Por isso, empresas baseadas em uma cultura de confiança, colaboração e inclusão, na qual todos se sentem representados, são aquelas que alcançam as melhores ideias e soluções, inclusive diante de uma crise. E assim é no nosso escritório. E assim realizamos com alta performance a gestão de crise no nosso projeto.