Rodrigo Seizo Takano

Rodrigo Seizo Takano

Sócio

+ 55 11 3150-7023
Área de atuação

Head da área trabalhista, Rodrigo tem grande competência em questões complexas e estratégicas relacionadas ao direito trabalhista, especialmente em negociações com sindicatos e autoridades trabalhista brasileiras, disputas trabalhistas estratégicas (ações trabalhistas individuais e coletivas), consultoria trabalhista e assistência jurídica preventiva a clientes nacionais e estrangeiros.

Associações

Ordem dos Advogados do Brasil (OAB)
International Bar Association (IBA)
Associação dos Advogados Trabalhistas de São Paulo Associação dos Advogados de São Paulo (AASP)

Reconhecimentos recentes

Reconhecido pela Chambers Latin America 2019, em Trabalhista.
Recomendado pelas edições de 2018 da Latin Lawyer 250, Legal 500 e Who’s Who Legal 2018, em Direito Trabalhista.
Eleito como “Client Choice” em 2016 pelo International Law Office.
Recomendado pela The Legal 500, edição 2017, em Direito Trabalhista.
Classificado entre os advogados mais admirados pela Análise Advocacia, em 2017, na área Trabalhista, Aeronáutico, Comércio, Eletroeletrônicos e Transportes e Logística.

Formação acadêmica

Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (Bacharelado em Direito, 1998).
Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (Especialista Latu Sensu em Direito do Trabalho, 2001).
Fundação Getúlio Vargas (Curso de Extensão em Negociação - GVPEC, 2002).
Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (Mestre em Direito do Trabalho, 2005).

Outras qualificações

Professor Assistente do Curso de Pós Graduação Latu Sensu em Direito do Trabalho do COGEAE da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo.

Publicações Recentes

Nos artigos anteriores, abordamos algumas medidas preventivas que podem ser tomadas pelas startups...[+]
Após sofrer diversas alterações pela aprovação pela Câmara dos Deputados em 13/08/2019,...[+]
Planos de incentivos atrelados a ações são mecanismos de longo prazo que permitem aos empregados...[+]
Por Adriana AguiarO Tribunal Superior do Trabalho (TST) livrou o Magazine Luiza de uma condenação...[+]
No artigo anterior, abordamos as medidas que podem ser tomadas pelas startups para proteger...[+]
Startups são conhecidas por desenvolver negócios transformadores e disruptivos, pela própria...[+]
Desde novembro de 2017, quando a Reforma Trabalhista estabeleceu que os “prêmios” não...[+]